Terça-feira, 19 de Maio de 2009

show de caetano em brasília

 

 

 

18/05/2009

 


Caetano promove noite emocionante quase ofuscada por tombo

 

Irlam Rocha Lima

 

 

 

Mais tarde, Caetano classificou de “rídiculo” o acidente

 

 

Um tombo no fim do show por pouco não ofusca a magnífica performance de Caetano Veloso na noite de sábado (16/05), no Auditório Máster do Centro de Convenções Ulysses Guimarães. O cantor, de 66 anos, havia voltado para o bis e, na interpretação de “Força estranha”, emocionado com a participação da plateia que o acompanhava em coro, avançou até a beira do palco, se desequilibrou e caiu de uma altura de 1,50m, abraçado à guitarra, em frente às cadeiras da primeira fila de espectadores.

 

A queda não teve maiores consequências, pois, para alívio do público, que o aplaudia de pé, Caetano imediatamente se levantou e, sem microfone, continuou cantando a música — a preferida de sua mãe, Dona Canô —, que ele fez para Roberto Carlos em 1978. Mais tarde, no camarim, ao receber amigos e admiradores com um largo sorriso, classificou de “rídiculo” o acidente. Neste domingo (17/05), às 17h30, ao sair do hotel, o cantor disse que não teve nada, “só o joelho que ficou um pouco machucado, mas nada grave, nem dor muscular”.

Caetano abriu o espetáculo com a bela A voz do morto, em que cita um ex-fraterno amigo, no verso “Eu canto com o mundo que roda/Eu e o Paulinho da Viola/Viva Paulinho da Viola!”. Sem cais, faixa de Zii e zie (álbum lançado em abril e que dá nome à turnê), foi ouvida logo depois. Na sequência vieram Trem das cores, Perdeu, Por quem?, Lobão tem razão e Maria Bethânia, clássico do LP de 1971 que ele dedicou ao teatrólogo Augusto Boal, morto no último dia 2. “Foi Boal quem dirigiu o primeiro show de minha irmãzinha no Rio e cuidou dela quando tive que voltar para a Salvador. Ele escreveu e dirigiu Arena canta Bahia, que nós, Gil, Bethânia, Tom Zé e eu, encenamos em São Paulo”, lembrou.

 

Irene, da fase tropicalista, e Volver, tango de Carlos Gardel, foram recebidas com muitos aplausos pelas 2.800 pessoas que lotaram o auditório e deixaram claro que não conheciam as novas músicas. No único número de voz e violão, Caetano foi todo suavidade na bossa Aquele frevo axé. Em seguida, retomou Zii e zie, com Tarado ni você, Menina da ria, Falso Leblon, Base de Guantánamo e Lapa. A aparente frieza dos fãs desapareceu com Não identificado, Odeio (de Cê, o CD anterior), a dançante Água (Kassin) e Eu sou neguinha. Além de Força estranha, o bis teve Incompatibilidade de gênios (João Bosco e Aldir Blanc) e Três travestis.

Ainda mais preciso ao vivo, o vigoroso power trio formado pelos jovens músicos Pedro Sá (guitarra e violão), Ricardo Dias Gomes (baixo e teclados) e Marcelo Callado (bateria) deu o suporte necessário para o brilho de Caetano. No camarim, o cantor recebeu amigos como o ministro da Cultura, Juca Ferreira, e o poeta Luis Turiba, além de fãs e internautas de quem se aproximou por meio do blog Ordem e Progresso — entre eles, o escritor Paulo Kauim, que lhe presenteou com o livro de poemas Demorô.

 

“É impressionante como Caetano se reinventa e surpreende. Adorei o show e as novas músicas”, afirmou a artista plástica Betty Bettiol, acompanhada pelo marido Carlos Bettiol, com quem assistiu ao artista pela primeira vez, na época da Tropicália. Para Pedro de Lima Mariano, estudante de relações internacionais, o show de sábado foi o primeiro de Caetano que ele viu: “Estou impactado. Ao dividir o palco com jovens músicos, ele mostra que continua com muito viço”.
 

 

 

 

 

 

.


publicado por paulokauim às 03:13
link do post | comentar | favorito
|

.blogosfera

contador grátis

.pesquisar

 

.Agosto 2014

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30

31


.posts recentes

. nossa pista de sk8 não va...

. sonata em d

. meu amigo

. no existen los dioses

. 2014 começa na porrada de...

. nelson luiz

. cubahia

. semente

. outro brasil

. vida

.arquivos

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Abril 2014

. Janeiro 2014

. Outubro 2013

. Agosto 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

.tags

. todas as tags

.favoritos

. Carioca de (al)gema!

. Graffitis - Discussão

. Rua da Feira

. Tropecei na rede #003

.links

.mim é índio com negro com branco

blogs SAPO

.subscrever feeds