Quarta-feira, 14 de Janeiro de 2009

hai kai kauim teatro nô severino

para severino francisco

 

 

 

 

 

 

mano severino francisco, tudo bacana!?
li sua crônica-crítica ainda em são paulo ( onde
há tantos severinos, diferentes na cor, na sina e na sílaba )

 

seu texto
de pedra

e pound
vai fundo
na água corrente
da linguagem

 

nele você decifra
nossa fome de comer
maracatu com mallarmé
cummings com cartola
edith do prato com stockhausen

 

o deleuze afirma
que de tanto bater a cabeça
a gente abre um buraco
e foi pela fresta das suas palavras
onde minhas palavras atravessaram

 

esse livro-objeto
é seu severino

 

você desvelou em seus escritos
a espacialidade gráfica
do demorô com brasília
e o gosto pela experimentalidade
provocado por nosso mestres amados
como glauber, rogério sganzerla,
júlio bressane, os campos, caetano,
os mestres da escola de samba e da cultura popular

 

você é certeiro
ao refletir sobre nosso trampo:


“é uma poesia concreta recriada por um olhar tropicalista,
animado pelo gosto anárquico de devoração antropofágica
e mistura de múltiplas linguagens no mesmo caldeirão”.
( nosso oswald é aprova dos nove )

 

o x
da questão
é que você foi no alvo
do eixo-rizoma-geográfico
por onde nossos poemas
se movem:


rimbaud na abissínia
mestre salustiano em olinda
kaq e beckmann na asa norte
chico science no central park
e eu em taguatinga-morro da mangueira-manhattan-áfrica-lisboa

 

sou leitor de textos críticos
do haroldo e augusto de campos, roland barthes, marcuse, adorno,
walter benjamin, umberto eco, teixeira coelho, arlindo machado,
ismail xavier, ezra pound, todorov e severino francisco

 

os dados
estão rolando
sobre nós
e
sobre 14 milhões
de
analfabetos ( que empurram sonhos )

 

 

 

 

um abraço carinhoso

 

seu mano

 

paulo kauim

 

 

 

 

 

ps. a capa é uma metáfora sobre a interpretação psicanalítica do mito da caverna de platão


 


publicado por paulokauim às 23:57
link do post | comentar | favorito
|
Terça-feira, 21 de Outubro de 2008

crônica-crítica da cidade por severino francisco

 

 

HAI KAI DE KAUIM

 

- CRÔNICA DA CIDADE -

 

- SEVERINO FRANCISCO - CORREIO BRAZILIENSE.

 

 

 

    Desde o início da construção de Brasília, sempre foram os artistas que lançaram o olhar mais atento, agudo e amoroso para a cidade modernista. Eles nunca se preocuparam se ela tinha ou não esquinas e outras trivialidades, pois perceberam claramente que estavam diante de uma proposta inovadora. Brasília inspirou diretamente um dos principais manifestos do trio paulista de poetas formado por Augusto de Campos, Haroldo de Campos e Décio Pignatari, intitulado " Plano Piloto da Poesia Concreta ".

    Quando leu os manifestos o pernanbucano/taguatinguense Paulo Kauim sentiu-se em um beco sem saída, em uma encruzilhada, no desafio de produzir uma poesia que incorporasse as técnicas de vanguarda e não renegasse a experiência do nordestino impregnado de cultura popular. Como conciliar Pound e pedra, Mallarmé e maracatu, Cummings e Cartola?

    Kauim passou 30 anos quebrando a cabeça, mas conseguiu abrir uma fresta para sair da encruzilhada e escavar uma voz própria na poesia, com algo de concretismo e cordel, rap e repente, ideograma e grafite, Niemeyer e João Cabral de Melo Neto, Brasília e Recife, utopia e memória, hai-kai chinês e samba, teatro Nô e alegoria de carnaval: " O Brasil é Jô e Gil / Nô e new / É Assis e Noel / É caqui com cajá / judô com dendê / É Araci com araça ".

    O resultado dessas experimentações está registrado em Demorô ( Ed. Thesaurus ). Uma espécie de livro-objeto, que se apropria livrimente das inovações concretistas. É uma poesia que evoca a do curitibano Paulo Leminski, no verso rápido e no humor, mas que é muito marcado pela arquitetura, os marcos modernistas, o gosto experimental e a espacialidade de Brasília.

    É uma poesia concreta recriada por um olhar tropicalista, animado pelo gosto anárquico de devoração antropofágia e mistura de multiplas linguagens no mesmo caldeirão. O grafite, a falha  e o erro borrado o design asséptico da paisagem: " O Brasil é errado desse jeito / Porque começou  / com a faculdade de direito ".

    O eixo geográfico por onde se move a poesia de Kauim é quase sempre formado por Pernambuco / Brasil / África.Repente, samba e rap: " A ira / A usura branca / Não sabiam / Que dos podres porões / Das escravas-velas / sairia o samba / o vento / no lenço / no pescoço / no arco / na lapa ".

    De maneira análoga ao que ocorreu com o Plano Piloto de Lúcio Costa, o " Plano Piloto da Poesia Concreta " também era muito racional e foi implodido pelas contradições da cultura brasileira, não se cumprindo como havia sido planejado. Um lance de dados jamais abolirá o acaso que se tornou um dos lemas preferidos  dos poetas concretos. E, de fato, o acaso jogou os seu dados.

    No diálogo, muitas vezes tenso, com os planos pilotos, estão emergindo poetas interessantes. Apesar de cair algumas vezes em maneirismos de vanguarda, Kauim está ensaiando uma resposta singular ao desafio colocado pela Poesia Concreta, jogando o lance de dados da poesia com muita liberdade, sem excluir nada de sua história ou da história da cultura brasileira: " A felicidade brasileira / Toda / Cabe em um pandeiro ".

 

 

 

 

- CRÔNICA DA CIDADE - SEVERINO FRANCISCO - CORREIO BRAZILIENSE 20/10/2008.

 


publicado por paulokauim às 02:38
link do post | comentar | favorito
|

.blogosfera

contador grátis

.pesquisar

 

.Agosto 2014

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30

31


.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. hai kai kauim teatro nô s...

. crônica-crítica da cidade...

.arquivos

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Abril 2014

. Janeiro 2014

. Outubro 2013

. Agosto 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

.tags

. todas as tags

.favoritos

. Carioca de (al)gema!

. Graffitis - Discussão

. Rua da Feira

. Tropecei na rede #003

.links

.mim é índio com negro com branco


. ver perfil

. seguir perfil

. 3 seguidores

SAPO Blogs

.subscrever feeds